• Profissionais
  • Fórum
  • Artigos
  • Quem somos
  • Fale conosco
  • Parceiros
  • Anuncie aqui!


  • Não é cadastrado
    ainda?

  • Criar uma conta
  • Acesse a sua conta

  • UM PÉ NA PRODUÇÃO – Parte 2 - Roadie Brasil
    Início » Bandas » UM PÉ NA PRODUÇÃO – Parte 2

    UM PÉ NA PRODUÇÃO – Parte 2

    Confira a segunda parte do artigo!

    Olá, quem estava lendo o post anterior viu que eu dei três dicas de como começar a produzir bandas e eventos ou trocar de cargo (para quem já trabalha na área), abaixo temos mais quatro diquinhas, espero que gostem:

    4) Peça ajuda

    Ninguém nasce sabendo, então não tenha vergonha de dizer que ainda não tem experiência em alguma função, que está com dificuldades, que não entendeu alguma coisa, enfim, mostrar que ainda não tem domínio de alguma situação não é feio. Divida com sua equipe suas dúvidas, peça ajuda sempre e se mostre interessado em aprender.

    Em produção, sobretudo na parte operacional, as pessoas aprendem muito durante a execução de tarefas. O pouquinho que eu sei de som aprendi com alguns técnicos com quem trabalhei, aprendi sobre luz com meus iluminadores, sobre montagem com alguns amigos carregadores e assim por diante… Quando as pessoas veem gente interessada, sempre há uma boa vontade em transmitir conhecimento.

    O que fazer se algo saiu errado mesmo cercado de informações e cuidados? Coloque seus pés no chão: reflita sobre o ocorrido, faça uma autoanálise para entender como agiu naquela situação, veja o que você aprendeu com aquilo, como melhorar, como se precaver para que não volte a acontecer, incorpore essa experiência no seu campo profissional e bola para frente.

    5) Respeito

    Toda função é essencial para que um show ocorra, portanto, não menospreze nenhuma delas.

    Lembra que eu disse para aproveitar as oportunidades e ampliar seu networking? Essa dica é importantíssima para que uma boa impressão inicial seja causada: use sempre seu bom senso para não ser inconveniente, antes de metralhar alguém com perguntas e sair trocando telefones, veja se é adequado (para não distrair um profissional no momento em que ele está cheio de trabalho) e se a pessoa deu abertura para isso.

    Seja simpático, agradável e educado. Educação é bom e todo mundo gosta, cumprimentar as pessoas é gentil e torna o ambiente de trabalho mais leve, fora que não custa nada dar um sorriso, dizer ‘por favor’, ‘obrigada’, ‘bom trabalho’, ‘boa tarde’… Mesmo nas horas em que é preciso ser firme, sua postura significa muito mais do que seus gritos, mantenha o tom de voz, existem outras formas de se posicionar, portanto, mantenha as discussões em nível profissional, não ofenda as pessoas, lembre-se que até para falar um palavrão tem o jeito certo.

    6) Humildade sempre!!!

    Opa, a carreira está deslanchando? Conseguiu um job bacana? Uma promoção para um cargo melhor? Tem mais responsabilidades e um cachê maior? PARABÉNS, ISSO É MA-RA-VI-LHO-SO!!!

    Mais do que nunca essa é a hora de tomar cuidado para seu ego não inflar e você se sentir a estrela mais brilhante do universo. Somos seres humanos imperfeitos, é normal que a nossa alegria gere um sentimento de auto valorização tão intenso que passamos a menosprezar (algumas das vezes sem perceber) os outros coleguinhas de trabalho (começa no ambiente de trabalho e se espalha para as demais esferas da vida), então MUITO CUIDADO!!!

    Lembre-se sempre de onde você veio do quanto teve que ralar para chegar aonde chegou e que todo mundo também tem seu lugarzinho ao sol. A autocrítica pode ser uma grande aliada no processo de auto avaliação profissional, desde que usada na medida certa (deu algo errado? Reflita, veja o que você aprendeu com aquilo, como melhorar e bola para frente… Jamais se culpe).

    Ninguém nasceu sabendo e ninguém jamais saberá de tudo, é impossível, quanto mais experiência acumulamos descobrimos que ainda há uma infinidade de conhecimento nos esperando, sempre haverá situações com as quais nós nunca lidamos, o aprendizado é constante.

    7) Exercite seu lado ‘Macgyver’

    Seja criativo, safo, esperto, perspicaz, APRENDA A SE VIRAR!!!

    Em produção um pedaço de barbante aliado à sua criatividade e pode virar um incrível arranjo técnico (gambiarra, mas das bem feitas) que pode salvar o seu show.

    Monte uma caixa de produção (ou mochila). Na minha case tenho os seguintes itens: abraçadeiras plásticas (fita Hellerman), adaptadores de tomada, benjamin (ou ‘T’), blocos de notas e de recibos, canetas (esferográficas e permanentes), CDs da minha banda, chave de teste indutiva (ou ‘chave de teste de tensão’), chaveiro abridor de garrafa, crachá, extensão, farmacinha básica, fitas de vários tipos (as que eu mais uso são: fita amarela para demarcação de solo, black tape, crepe, dupla face, isolante e zebrada), lanterna, luvas, pen drive, repertórios, trena.

    Para quem não leu as primeiras três dicas, basta ver o post “Um Pé na Produção – Parte 1”.

    Espero ter contribuído de alguma forma com a carreira de cada um de vocês e desejo muito sucesso, é hora de ir à luta!!!

    QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

    Flavinha Pestana

    Olá, meu nome é Flávia e sou Produtora de Bandas e Eventos (principalmente os eventos artísticos e corporativos) há 12 anos. Como Produtora de Bandas estive em projetos mineiros de pequeno e médio porte como Bruno Lopes, Fred & Geraldinho, Mania de Toalha, Manitu, Treme Terra, etc... Já como Produtora de Eventos tive a oportunidade de trabalhar com alguns dos grandes nomes da música Alcione, Amado Batista, Arlindo Cruz, Bell Marques, Beth Carvalho, Biquíni Cavadão, Apple Gabriel, Cláudia Leitte, Don Carlo, Elba Ramalho, Ivete Sangalo, Jerry Lee Lewis, João Bosco & Vinícius, Jorge Aragão, Jota Quest, Living Colour, Lucas Lucco, Luan Santana, Lulu Santos, Maria Rita, Molejo, Monobloco, Nando Reis, Nenhum de Nós, O Teatro Mágico, Zeca Baleiro, Zezé di Carmargo & Luciano.

    CATEGORIAS
  • Bandas (1)
  • Primeiros passos de um Roadie (2)
  • Roadie Brasil (3)







  • Comentários